top of page
Buscar

Ansiedade: Aprenda Quais São os Sintomas de Ansiedade e Como Controlar

Atualizado: 28 de jan.

Descubra como a ansiedade pode se transformar em um transtorno, conheça seus tipos, sintomas e consequências e aprenda como controlar a ansiedade e melhorar sua qualidade de vida.


mulher em momento de sofrimento com as mãos na cabeça
Conheça os sintomas de ansiedade


Você já teve dúvidas se o que você sente é ansiedade?

No dia a dia do meu consultório, os pacientes costumam ter muitas dúvidas sobre os sintomas de ansiedade e, por isso, decidi compartilhar informações que podem ser úteis.


A ansiedade é uma emoção humana comum e, na maioria das vezes, saudável. Todos nós enfrentamos situações em nossas vidas que podem gerar ansiedade - a véspera de uma viagem importante, apresentar um trabalho em público, aguardar a chegada de um filho, entre outros momentos que nos tiram da nossa zona de conforto.


Neste artigo, você vai entender o que é a ansiedade "normal", os sintomas que indicam que ela se tornou um problema e como controlá-la quando necessário.




É normal sentir ansiedade?


A ansiedade faz parte da nossa resposta natural ao estresse e à incerteza. Quando enfrentamos uma situação desafiadora, nosso cérebro ativa áreas responsáveis por identificar possíveis perigos futuros e planejar ações para minimizá-los.


Nesse processo, nosso corpo entra em estado de alerta: ficamos mais concentrados na situação, os músculos se tornam tensos, o coração acelera, e a respiração fica mais rasa.

Essa é a nossa resposta de "luta ou fuga".


Após o evento ou quando a situação parece sob controle, a ansiedade diminui, e voltamos ao nosso estado anterior. Essa é a ansiedade "saudável" que nos torna mais aptos a lidar com os desafios da vida.



Quando a Ansiedade se Torna um Problema?


No entanto, existe um ponto em que a ansiedade deixa de ser saudável e se torna um problema. Isso acontece quando a preocupação com um evento ameaçador é intensa demais ou persiste por muito tempo, resultando em um desequilíbrio no nosso sistema de alerta.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), quando o assunto é ansiedade, o Brasil é o campeão mundial. Os dados apontam que 26,8% dos brasileiros receberam diagnóstico médico de ansiedade.



Quais são os sintomas de ansiedade?


Segundo o DSM-5 (o principal manual diagnóstico da área, elaborado pela Associação Americana de Psiquiatria), os transtornos de ansiedade incluem vários tipos específicos, como transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico, transtorno de ansiedade social, transtorno de ansiedade de separação e outros.


Os principais critérios para o diagnóstico de um transtorno de ansiedade de acordo com o DSM-5 incluem:

  • Preocupações e medos excessivos e desproporcionais em relação a situações ou objetos específicos.

  • Preocupações e medos por um período prolongado (geralmente, pelo menos seis meses).

  • Dificuldade em controlar ou interromper essas preocupações.

  • Sintomas físicos, como tensão muscular, agitação, fadiga, irritabilidade, insônia, entre outros.

  • Sofrimento significativo ou prejuízo nas atividades diárias, relacionamentos ou desempenho escolar ou profissional devido à ansiedade.


Quais são os diferentes tipos de transtornos de ansiedade?


É importante notar que existem vários tipos de transtornos de ansiedade com características específicas. Por exemplo, o transtorno do pânico envolve a ocorrência de ataques de pânico inesperados, enquanto o transtorno de ansiedade social está relacionado ao medo excessivo de situações sociais.


Aqui estão os principais grupos de preocupações excessivas presentes nos diferentes tipos de transtornos de ansiedade:


1. Preocupações Exageradas: A pessoa não consegue relaxar e experimenta preocupações excessivas e constantes.

2. Sensação de Desastre Iminente: Há uma sensação contínua de que algo muito ruim está prestes a acontecer. Muito característico do transtorno de pânico.

3. Preocupação Excessiva com Diversos Aspectos da Vida: Isso pode incluir saúde, dinheiro, família, trabalho e outros. Muito presentes no transtorno de ansiedade generalizada.

4. Medo Extremo: Medos intensos e irracionais, presentes nas fobias específicas de altura, lugares fechados ou sangue, por exemplo.

5. Medo de Ser Humilhado Publicamente: Preocupação exagerada em relação ao julgamento dos outros. Esta é a principal característica do transtorno de ansiedade social.

6. Pensamentos Intrusivos: Falta de controle sobre pensamentos, imagens ou comportamentos repetitivos, que ocorrem independentemente da vontade. Esse padrão é o que predomina no transtorno obsessivo compulsivo.



Como Controlar a Ansiedade?


Se você se identificou com os sintomas de ansiedade excessiva ou conhece alguém que está passando por isso, é importante entender que há maneiras de controlar a ansiedade:


1. Busque Ajuda Profissional: Consultar um profissional de saúde mental ou o seu médico de família é o primeiro passo. Só um profissional qualificado pode avaliar a gravidade da ansiedade e recomendar o tratamento apropriado, que pode incluir ajustes na rotina, terapia, medicamentos ou uma combinação de ambos.


2. Conheça seus gatilhos: Aprender a reconhecer seus pensamentos e emoções é fundamental. A meditação e o mindfulness são técnicas eficazes para desenvolver essa habilidade.


3. Estabeleça um Estilo de Vida Saudável: Uma dieta equilibrada, exercícios físicos regulares e sono adequado (em quantidade e qualidade) são componentes essenciais para reduzir a ansiedade.


4. Evite o Excesso de Estímulo: Reduza o consumo de cafeína, álcool e outras substâncias que possam aumentar a ansiedade.


5. Domine Técnicas de Relaxamento induzido: Respiração profunda, yoga e técnicas de relaxamento muscular podem ajudar a aliviar os sintomas de ansiedade. No Manual Prático da Crise de Ansiedade você encontra técnicas validadas para diminuir a ansiedade na rotina.



Conclusão


Lidar com a ansiedade é um processo individual, e cada pessoa pode encontrar estratégias que funcionem melhor para si.

Aprender a reconhecer os sintomas e adotar estratégias de controle pode fazer toda a diferença na qualidade de vida de quem sofre com transtornos de ansiedade.


Se você ou alguém que você conhece está enfrentando esse desafio, saiba que há esperança e diversas estratégias de tratamento possíveis e é fundamental procurar ajuda de um profissional de saúde mental. Com apoio adequado, você pode aprender a gerenciar sua ansiedade e retomar o controle sobre sua vida.



Referências

American Psychiatry Association. (2014). Diagnostic and Statistical Manual of Mental disorders – DSM-5. 5th.ed. Washington: American Psychiatric Association



Bruna Campos

CRM 5291655-2 RQE 23225

Bruna Campos é médica psiquiatra, com graduação e residência pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui pós-graduação em Comportamento Alimentar, Psiquiatria da Infância e Adolescência e formação em Terapia Cognitiva Baseada em Mindfulness, Psicologia da Saúde Ocupacional e Psicoterapia Positiva (IpQ-USP). É palestrante e oferece conteúdos e produtos sobre saúde mental em seus canais digitais. Além disso, possui formação em Gestão de Clínicas e Consultórios pelo Instituto Albert Einstein de Ensino e é consultora em gestão de consultórios e posicionamento digital para profissionais da saúde.








Comments


bottom of page